Explorando Kuala Lumpur, Malaysia – Parte 2

Olá queridos leitores! CHEGUEEEI!! EE!
Já estou quase recuperada do jetlag! Eba!
Pois bem, escrevi este post do meu voo de Hong Kong a Frankfurt (Obrigada Cathay Pacific pela tomada! :D).

Como já havia comentado, Kuala Lumpur foi uma grande surpresa, pois não tinha expectativa alguma sobre o lugar, e minhas pesquisas no Pai Google foram bem superficiais. Besteira? Bem, eu gosto de surpresas (= tenho preguiça de pesquisar sobre os lugares antes de viajar).

A cidade é MUITO arrumada e moderna. As calçadas são boas para caminhar, tem muitos prédios, e o mais incrível: a maior parte da população é islâmica! Ou seja, nada de templos, mas sim, mesquitas e vários outros prédios de arquitetura islâmica. Devo confessar que foi um “alívio” para meus olhos! Heheh.. Além de ter uma super comunidade indiana e budista.

No segundo dia começamos um pouco tarde. Saímos do hostel quase ao meio dia, e fomos direto para a estação de trem, rumo às Batu Caves. O trem/metrô era super moderno e bonitinho, com vagões especiais apenas para mulheres islâmicas (que entramos sem querer na pressa, mas saímos correndo dali hahah) e nos custou 1USD a ida e volta por pessoa! :O

Batu Caves nada mais é que um templo hindu em uma caverna.

Incrível, não?

A tarde resolvemos dar uma volta pelo bairro islâmico, que era “logo alí” na estação de trem.


Visitamos a “Masjid Negara”, que é super bonita! Para entrar, as mulheres deveriam estar cobertas dos cabelos aos pés, caso contrário, eles emprestavam uma capa. Os homens deveriam cobrir os ombros e os joelhos, caso estivessem de bermuda, tinham que usar a capa também, mas não precisavam cobrir os cabelos. A parte chata era que eles tinham um número limitado de capas, logo, se todas as capas estivessem em uso, o visitante deveria esperar até um outro sair para que ele possa entrar.

Achei bem legal da parte deles abrir a mesquita para que pessoas de outras culturas e religiões possam conhecê-la também.

Depois entramos em um museu de arte islâmica bem bacana, com vários alcorão, trajes, jóias, armas, e maquetes de várias outras mesquitas e construções famosas, como o Taj Mahal, na Índia (mas não tirei fotos dentro).

Para quem gosta de caminhar, dá para visitar boa parte dos pontos turísticos principais de KL andando. Além da vista ser super agradável.

No fim da tarde, subimos na KL Tower, ou Menara Tower, para ver o pôr-do-sol. Optamos por esta ao invés da Petronas simplesmente pelo preço (custou 35DM, ou 12USD).

E para terminar o dia, fomos até Petronas ver a iluminação de perto. 🙂

Dica: cuidado com seus pertences! Vimos garotos vendendo Iphones, provavelmente roubados ali mesmo! Fora isso, a cidade parece ser bem segura.

Na manhã seguinte estava chovendo pra caramba, mas resolvemos passar no mercado central mesmo assim para comprar alguns presentes, pois queríamos ir para Singapore ainda a tarde.

E de turismo na Malaysia, foi isso mesmo. Uma pena termos deixado tão pouco tempo para uma cidade. Com certeza voltaria lá para conhecer outras cidades, e até mesmo, um pouco mais de KL.

A próxima parada foi Singapore, que vem no próximo post. Até! 😉

Anitão está de volta à fria Curitiba! 🙂

Comments

comments

Related posts:

6 comentários em “Explorando Kuala Lumpur, Malaysia – Parte 2

Deixe uma resposta