A Odisséia da vida a dois – dia 121

Uau! Olha eu aqui, dois dias seguidos, hein?! Hahah.. Como vão adorados leitores?

Por aqui vai tudo maravilha. Até está ficando meio chato de não ter muito do que reclamar. Não, é brincadeira. Não quero ter do que reclamar! Heheh..

Pois bem, hoje tem mais um episódio da quase esquecida série da vida a dois! EE!

As pequenas coisas (Ui!)

Já haviam me avisado dessas tais coisinhas. Eu mesma já havia percebido sua existência. Mas também, como na maioria das causos da vida, na prática é bem diferente da teoria.

Com o passar dos dias começamos a notar as pequenas rachaduras um do outro, afinal, somos a primeira coisa que o outro vê ao acordar, e a última antes de dormir. Mas tudo bem, quando o “amor” é tão grande (e tolerante), é só  ignorar essas rachaduras, e todos vivem felizes, certo? Errado.

Dia desses, não lembro se foi eu ou o Michael que começou, mas alguém estava meio estressado (ok, provavelmente eu), e aquela lixeira sem saco de lixo nos fez colocar todos os “pingos nos is” naquele exato momento. E isso é uma coisa que ainda estou aprendendo: se tem algo errado, você tem que dizer, e não ignorar. Do contrário, não vai ter “super bonder” que segure as rachaduras, né?

Segue uma pequena lista de recomendações que demos um ao outro:

 Algumas já foram superadas, outras estamos nos esforçando para melhorar. (E algumas foram simplesmente ignoradas hahah..).

E como se já não bastassem as manias domesticas, tem aquelas peculiaridades que já “fazem parte da pessoa”, mas estas não tem outro jeito que não se acostumar mesmo. Por exemplo, eu tenho um dom para fazer coisas inimagináveis: na inocente tentativa de colocar um caderno do meu lado direito da cama, eu consigo acertar o computador do Michael e misteriosamente arrancar apenas a tecla “c”. Muito bizarro, não? Hahaha.. Já o Michael tem a mania de batucar em tudo, O TEMPO TODO (os males de ser um baterista)! Ok, é divertido e não acho legal reprimí-lo, mas tem vezes que nem a mesa escapa (aí eu estou lá numa boa desenhando e começa um terremoto! Hahahah).

No geral, acho que nos damos super bem. Mas fico aqui pensando, só se passaram 121 dias.. o que mais está por vir?

Anitão é quem deixa as coisas “semi-fechadas” hehe..

Comments

comments

Related posts:

6 comentários em “A Odisséia da vida a dois – dia 121

  1. Essas pequenas coisas são realmente difíceis de aguentar algumas vezes, principalmente quando você mora com a pessoa.
    Meu namorado tbm é batuqueiro, sempre pergunto pq diabos ele não faz parte do Olodum hahaha.
    Mas o grande problema entre a gente é a limpeza da casa. Não que eu seja uma porca, mas não posso deixar um lápis fora do lugar que ele já enlouquece! Ele é maluco com limpeza, nossas maiores brigas são por causa disso 😛

    Adorei a lista de recomendações, tirando a parte de fechar o peanut butter (ou qualquer outra coisa) e o detergente, tudo se encaixa perfeitamente aqui em casa.

    1. hahahahaha.. adorei o Olodum!

      Pois é, eu não me preocupo com coisas abertas (porque sou eu quem as deixa.. hahaha), mas bagunça em excesso é complicado. Se bem que, ultimamente eu estou apenas ignorando, para não me estressar demais.. hehe

      Um beijão e uma ótima semana, Amanda!

  2. Eu jurava que o negócio da pasta de dente e de fechar tudo torto fosse coisa dele, hahaha! Aqui em casa também em muito disso. No começo eu ficava doida com meu marido deixando embalagens vazias em cima da mesa da cozinha (sendo que tem um lixo pertíssimo), e etc, mas já meio que me acostumei e ele também tem se mancado mais e não deixado mais muitos rastros, hahaha!

    Isso de não ignorar e falar logo o que está errado eu sempre fiz, tanto que às vezes acho até que falo demais e beiro à chatice! =P

    Impressionante o quanto a gente acaba se auto descobrindo quando convivemos com outrem, né?

  3. Nunca pensei que sentiria tanta falta de um blog haha. Faz tipo uma semana (um pouquinho mais) que minha vida insana não me permitia sentar e relaxar pra ler o feed do google reader, e comecei a pensar que eu tinha algum tipo de “stalkerismo” pelo seu blog haha (okay, não é bem isso, don’t worry!)
    Desde aquela época do bolor em cima da cama minha vida doméstica ficou um caos, eu resolvi não renovar meu contrato de aluguel que venceu em julho (por motivos obvios), ai a dona da casa começou a me infernizar ;; aí tive de “me hospedar” na casa do namorado (por 1 mes, até achar um ape haha).
    Mas então, eu tava achando o caaaaaos passar tanto tempo com ele, pq ele implica com a minha bagunça, e eu implico com o barulho dele (eu acordo cedinho pra trabalhar e ele fica jogando de madrugada com o som “alto” ;;) Mas quando entram essas coisas domésticas deve ser o caos na vida! aahaa
    E agora que ta tudo se resolvendo e semana que vem vou ter onde morar acho que vou sentir falta até dos mimimis porque larguei a mochila no chão, hahah
    Mas o jeito é ir acostumando com as manias alheias, ne? Se não for nada muuuuito absurdo acho que da pra relevar xD

    1. Ahhhh… sabe que eu também senti tua falta essa semana? Fiquei perguntando se algo tinha acontecido com a sua conexão. Fico tão feliz quando você comenta, pois é sempre algo super pessoal.. hehe

      EEEE!!! E que bom que encontrou um lugar novo, só precisa de um dossel de princesa agora! Hahah..

      Eu e o Michael ficamos de mimimi o dia inteiro, mas é mais pela força do hábito.. hehe Logo mais você ficará feliz por poder largar suas coisas no chão novamente.. hehehe

      Um beijão!!

Deixe uma resposta