A Odisséia da vida a dois – dia 76

Olá olá! Sumi, como de costume! =/ Mas essa semana está tensa no trabalho. O mais massa é que na teoria, ontem foi um dia de folga, porque avisaram que iriam cortar a luz do prédio (manutenção ou coisa parecida), mas na prática, a tchurminha se encontrou na casa da chefe para fazer trabalhinho estilo faculdade com direito a gatos passando pelos meus papéis e por aí vai.

Enfim, depois de uma sucessão de posts sobre o dia dos namorados, gostaria de contar como foi o meu. 🙂

Os 3 anos

Para quem não sabe, eu e o digníssimo nos conhecemos há 3 anos e 3 dias, exatamente no dia dos namorados. Naquela época eu era (quase) uma solteira convicta que já até tinha perdido as esperanças de encontrar um “par de calças” para chamar de meu. Teve um período da faculdade em que em uma das aulas de sábado de manhã, o professor perguntou quem era solteiro (ele gostava de usar relacionamentos como exemplos), e vergonhosamente, eu fui a ÚNICA que estendeu o braço ao infinito e além, como uma ótima aluna que tem as respostas para todas as perguntas da aula. Depois de um longo “cri cri cri..”, olhei a minha volta e percebi que era a única leprosa do pedaço. (Sério! Nunca vou me esquecer desse dia).

Pois bem, em um dos dias da árvore, em que eu e mais algumas amigas estávamos solteiras, decidimos sair para comemorar no Empório São Francisco (um bar/balada rock ‘n roll de Curitiba), lugar no qual batíamos ponto. Assim que entramos, avistei um cara alto e barbudo, de blusa de fio meio bege, meio branco-sujo, que dançava “loucamente”. Eu o apontei para a minha amiga e disse: “eu quero ficar com esse cara!” – eu sempre gostei de caçar, e não de ser a caça.. hehe.

Alguns minutos e cervejas depois, a minha amiga bancou a amiga incoveniente (“Ou! A minha amiga gostou de você!” Hahahaha…) E desde então, estamos juntos. 🙂

E para os casais que gostam de comemorar os aniversários de namoro (em geral, em meses, né? Heheh.. “Feliz 29458 meses! Uhul!”), a gente até teria um bom motivo para comemorar, e este, desde que nos conhecemos, foi o primeiro ano que passamos a data juntos. Das outras vezes, ambos estávamos viajando separadamente por aí.

No entanto, decidimos não trocar presentes este ano (aliás, eu não lembro se chegamos a conversar sobre o assunto), já que meu aniversário é em alguns dias (domingo!) e estamos fazendo contenção de gastos.

Na terça eu cheguei tarde do trabalho e meio mal-humorada, e ele, estava com muito trabalho pra fazer em casa. Fomos no restaurante das batatas apimentadas para um jantar não romântico acompanhado de cerveja chinesa (Tsingtao) de R$2 (o total da janta custou R$16), trajando nenhum look especial e de chinelão havaianas mesmo.

Chegando em casa, cada um se recolheu no seu mundinho particular (o computador) e continuou trabalhando até por volta da 01h30.

Agora eu me pergunto, será que isso é falta de romantismo e a vida a dois está fadada ao comodismo, ou nós somos simplesmente loucos (um pelo outro)? Ou ainda, foi apenas um dia “atarefado demais” para pensar em algum tipo de comemoração?

Hmmm… não sei o que foi. Mas eu, por hora, estou feliz assim:

🙂

Anitão escreveu o post do ônibus hoje, na volta para casa (para não atrasar ainda mais!) – Já comentei que os ônibus de Shanghai são bem vazios, custam R$0,65, tem TV e ar-condicionado e dá pra ficar de boa com o computador no colo, que ninguém vai te assaltar? 🙂

Comments

comments

Related posts:

12 comentários em “A Odisséia da vida a dois – dia 76

  1. ehuieohieuheioehuieh santa mãe da batatinha frita, queria onibus assim por aqui ;; eu morro de medo até de atender o celular e alguem pegar, descer e sair correndo, e eu nao poder fazer nada pq fiquei parada no transito e sem celular… jamais cogitaria a possibilidade de usar notebook, ipad ou seja la o que for (namorado diz que nao pode nem no carro, pq podem ver pela janela e quebrar o vidro pra roubar :/)

    Ah, eu acho que isso de menos “grude” é normal quando a gente convive com a pessoa se você tem tendencia ao não-romantismo, eu tenho medo de casal-grude D:
    Pelo menos vocês sairam pra jantar, eu comi comidinha caseira da vó do namorado mesmo (mas ganhei fondue :D)
    Acho uma belezinha você postando sobre a vida a dois, sobre como nem tudo são flores e tal heuiehouiehe da um quê de esperança pra quem ainda não chegou nesse estágio e tal, idk

    1. hahahaahha… chorei de rir com o “não pode usar nem no carro, porque podem ver pela janela”.. Aliás, tem que rir para não chorar, né? Heheh..

      Pois é, mas o “sair para jantar” aqui é meio diferente.. o restaurante é bem tosco, cheio de lixo, pessoas escarrando, e cheiro de cigarro.. mas a comida é gostosa e barata. Então é como comemorar o dia dos namorados no MC Donalds.. sem muito glamour, sabe? Heheh..

      Um beijão e um ótimo domingo!

  2. Ah, acho que é normal acontecer isso quando se vive junto e o dia está corrido. Maaasss, não percam o romantismo, e que isso não se repita, ok? hahaha

    Passei meu dia dos namorados doente, só saí pq meu pai tinha comprado milhões de cupons de pizza no Peixe Urbano e faltava usar 2 deles (o último dia pra usar era bem o dia 12). Já que eu e o Diego não daríamos conta das duas pizzas sozinhos, arrastei uma amiga pra comer com a gente (tadinha, quando acabamos de comer ela fez questão de ir embora rapidinho, achando que estava atrapalhando alguma coisa hauihaiuahuia). Depois voltamos pra casa e assistimos um filme (127 horas, SUPER romântico :P).

    Não ando muito de ônibus aqui em Brasília, mas invejei os ônibus daí.

    1. Pois é, em Curitiba eu só ando de carro.. mas aqui não vale muito a pena ter um, já que o transporte público é ótimo, e super barato, assim como os táxi.

      Ahh!! E eu sinto falta de uma pizza brasileira, com muuuuito queijo e muita porcaria no meio.. heheheh

      Um beijão!! E prometo que seremos mais românticos – eu pelo menos posso tentar! Hahah.. =*

  3. ahaha, eu fiz 3 anos e 3 meses de namoro no mesmo dia que você faz 3 e 3 que conhece o Michael 😀

    Meu dia dos namorados foi pior do que o seu, pois pelo menos você saiu pra jantar e tudo mais… a coisa mais emocionante que aconteceu no meu foi que a gente brigou :~

    1. hahahaha… pois é, pelo menos nós não brigamos! hehehe
      Mas o nosso sair para jantar aqui equivale à ir ao MC Donalds, então não é algo lá bem romântico, né? Heheh..

      Um beijão!! =**

  4. Ah, mas o bom ‘e estar juntinho! Gostar dos mesmos restaurantes baratex e aturar quando o outro esta estressado e ocupado. Romantismo esta nessas pequenas coisas do dia-a-dia, as memorias sao as melhores! True love 🙂

Deixe uma resposta